As alterações climáticas são, atualmente, um dos maiores desafios ambientais mundiais, manifestando-se maioritariamente através de eventos extremos e da subida da temperatura média global. Este tipo de eventos apresenta graves impactes económicos, sociais e ambientais, sendo que muitos dos quais são já irreversíveis.

Devido à sua gravidade, as alterações climáticas estão no topo da agenda política internacional. A causa deste problema ambiental reside no aumento exponencial das emissões de GEE, sendo o dióxido de carbono (CO2) o que se apresenta em maiores quantidades. Tal facto deve-se, em grande parte, à queima de combustíveis fósseis, ou seja, à utilização de energia, incluindo a sua transformação em eletricidade ou associada à combustão em fontes móveis como os transportes. Desta forma, pode-se afirmar que o problema das alterações climáticas é um problema principalmente energético.

Dado que a energia é um input oneroso para todos os sectores da economia, existe uma tendência natural para uma procura constante de melhorias ao nível da eficiência energética.

Uma abordagem racional às questões de energia e carbono pode ser vista na chamada hierarquia do carbono, que consiste em:

  • Promover o uso racional dos equipamentos e sistemas responsáveis pela emissão directa ou indirecta de GEE, com redução na procura;
  • Instalar equipamentos e sistemas energeticamente eficientes e sistemas de controlo que promovam conforto eficiente;
  • Utilizar energia de fontes limpas (renováveis, cogeração, calor residual).

Assim, a aplicação desta hierarquia implica o desenvolvimento de um plano de redução do consumo de energia e de outros recursos, controlando as emissões de carbono. Este plano deve apresentar uma repetição temporal, visando obter a excelência, sensibilizando e educando para as questões energéticas e para a responsabilidade climática da única maneira legítima: através de uma gestão de carbono responsável.

Todos nós contribuímos para o fenómeno do aquecimento global: com a energia que consumimos em casa; com as opções de transporte em férias ou no dia-a-dia; com os resíduos que produzimos.

Somos todos responsáveis e, como tal, não podemos ficar à espera que "os outros" encontrem solução para este problema. "Valsassina: Low Carbon School" é o nome de um projecto, de investigação, sensibilização e ação, que pretende, ao nível local, combater as alterações climáticas e pôr em prática políticas sustentáveis na área da energia e transportes. O projecto iniciou-se em 2007 e, até 2012, foi possível reduzir a pegada carbónica do Valsassina em 50%.

Através deste o Colégio Valsassina assume-se como a primeira "Low Carbon School" de Portugal. Isto é, uma escola onde as preocupações com o impacte da sua actividade no clima foram integradas na gestão quotidiana, levando à determinação de ações de gestão da actividade que reduzem o seu impacte no clima, com benefícios económicos e sociais.

 


Colégio Valsassina - Estratégia e Política 2008-2012 - A caminho de uma Low Carbon School (PDF)


A sustentabilidade na nossa escola - ecoValsassina-geração96 (PDF)


Video (MP4)