Marcação de visita






Valsassina: História e Projeto Educativo (PDF)

 

I - Identidade Básica do Colégio Valsassina

1 - Princípios Gerais

IGUALDADE DE OPORTUNIDADES

Todos os homens têm direito a uma educação adequada, em autêntica igualdade de oportunidades respeitantes a todos os níveis educativos, de acordo com as capacidades de cada um.

PAIS, OS PRIMEIROS EDUCADORES

Os Pais, por serem os primeiros e principais responsáveis pela educação dos seus filhos, têm o direito de escolher o tipo de educação que julguem mais de acordo com a sua orientação educativa familiar, fundamentando a sua opção no conhecimento do carácter próprio e projeto educativo do Colégio.

LIBERDADE DOCENTE E CARÁCTER PRÓPRIO

Os professores têm o direito de realizar a sua função docente em liberdade, no contexto do seu trabalho, mas integrados no carácter próprio da escola e no nível educativo que lhe corresponde.

OS PODERES PÚBLICOS GARANTIA DE LIBERDADE

Os poderes públicos têm a obrigação de tornar possível a liberdade de ensinar e de aprender, garantindo na prática a independência do Colégio e o direito de todos à educação entendida como um bem social.

A ESCOLA COMO GARANTE DO DIREITO À EDUCAÇÃO

A Escola é uma das instituições mais importantes como garante do direito à educação, sendo-lhe reconhecido um papel decisivo para a vida em sociedade.

2 - Aspetos Básicos da Identidade

O Colégio Valsassina...
Foi fundado com o propósito de não limitar a educação ao ensino mas complementá-lo pelos conhecimentos da vida nos seus múltiplos aspetos, beneficiando de um espírito de família que passou dos fundadores para toda a comunidade educativa.

PERSPETIVA ECOLÓGICA EDUCAÇÃO PARA O E EQUILÍBRIO E HARMONIA

Assume a sua condição de ESPAÇO / QUINTA que permite um desenvolvimento equilibrado e harmonioso da pessoa humana assim como a componente na defesa da natureza e do meio ambiente.

LAICISMO, HUMANISMO, EQUILIBRADO

Assume-se como um Colégio laico de Inspiração Humanista aberto a todas as convicções políticas e credos religiosos.

ESCOLA COMPREENSIVA, INDEPENDÊNCIA, AUTONOMIA, QUALIDADE

Considera-se uma escola independente e autónoma, dotada de uma organização e filosofia educativa próprias, tendo como objetivo uma cultura de qualidade, assumindo os princípios da Escola Compreensiva: "Proporcionar a todos as mesmas oportunidades para ser diferentes."

RESPONSABILIDADE, PARTICIPAÇÃO, SOLIDARIEDADE, DIÁLOGO

Promove junto de todos os seus membros um sistema responsável de participação, respeitando a autonomia individual, a solidariedade e o diálogo.

CRIATIVIDADE, CULTURA, INOVAÇÃO, EDUCAÇÃO, PLÁSTICA

Considera a criatividade como forma de inovar e participar nos aspetos estruturais e culturais da sociedade, adotando as novas tecnologias como meio privilegiado ao serviço do ensino - aprendizagem.

DIREITOS HUMANOS, JUSTIÇA, SOLIDARIEDADE NACIONAL E INTERNACIONAL

Tendo em conta a evolução da sociedade e os crescentes problemas que decorrem de situações de injustiça, promove a defesa dos direitos humanos, da liberdade e da solidariedade nacional e internacional.

IDEAL DESPORTIVO

Valoriza o ideal desportivo como fonte de saúde, disciplina, espírito de grupo e competitividade.

DISCIPLINA, ESPÍRITO DE GRUPO, COMPETITIVIDADE

Promove e dinamiza projetos interdisciplinares e extracurriculares que desenvolvem o trabalho de grupo, a tolerância, a disciplina e a competitividade.

Prossegue assim, e desde sempre, um ideal que procura compatibilizar com a vida em sociedade e, por isso, promove uma educação para a diferença, uma educação para a mudança, uma educação globalizante.

 

II - O Aluno - Sujeito e Objecto da Educação

Objetivos e opções educativas de carácter geral

CRESCIMENTO EQUILIBRADO

O objetivo principal da educação do Colégio Valsassina é o crescimento harmonioso do aluno que compreende o respeito pelos valores dos direitos fundamentais da pessoa humana.

EDUCAR PELA EXPERIÊNCIA E PELA VIVÊNCIA DE SITUAÇÕES

O nosso conceito de educação, mais do que transmitir conhecimentos, é possibilitar, pela experiência e pela vivência de situações, uma tomada de consciência que leva:
- ao conhecimento do próprio "eu" individual e único;
- ao reconhecimento do papel que o indivíduo desempenha na sociedade;
- a agir em defesa dos valores e princípios que norteiam o humanismo equilibrado;
- ao respeito pelas diferenças culturais, religiosas e ideológicas.

O INDIVÍDUO GLOBAL: VISÃO POSITIVA, SENSIBILIDADE SOCIAL, DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E EQUILIBRADO, CAPACIDADE CRITICA, SUPERAÇÃO DE SI PRÓPRIO

Consideramos que é o indivíduo, na sua globalidade, que motiva e dá sentido à nossa ação educativa:
a) pelo desenvolvimento da visão positiva de si mesmo;
b) pela sensibilidade face aos grandes problemas sociais: a violência, a injustiça, a fome, a doença, a miséria, e todo o tipo de discriminação;
c) pela sensibilidade em relação aos problemas que derivam da degradação do meio ambiente, da destruição do património, da desumanização decorrente das alterações ambientais e culturais.
d) pelo recurso as novas tecnologias sem perder o sentido do bem comum;
e) pela capacidade critica que o leva a corrigir os seus próprios erros e a intervir em liberdade para melhorar a sociedade em que vive;
f) pelo desejo de se superar a si mesmo, como indivíduo, como estudante e como cidadão, sem comprometer os ideais de solidariedade e de cooperação.

A Dimensão Académica

Esta dimensão compreende vários objetivos específicos que privilegiam dois domínios: o do desenvolvimento psicomotor e sensorial e o desenvolvimento de capacidades intelectuais.

DESENVOLVIMENTO DAS CAPACIDADES INTELECTUAIS, DOMÍNIO COGNITIVO

O desenvolvimento das capacidades intelectuais contempla vários processos mentais que vão da aquisição de conhecimentos (memorização compreensiva), à relacionação e aplicação dos conhecimentos a novas situações; análise, síntese e avaliação.

DESENVOLVIMENTO DE ATITUDES PROMOTORAS, APRENDIZAGEM

A aprendizagem não decorre de simples treino nem de mecanização, ela é, antes do mais, um ato consciente e resulta da iniciativa e do empenhamento pessoal que, por sua vez, traduzem o comprometimento emocional de quem aprende.

DESENVOLVIMENTO PSICOMOTOR E SENSORIAL

O desenvolvimento psicomotor e das capacidades sensoriais inicia-se no Jardim de Infância e abrange todos os ciclos, quer através das atividades Gimnodesportivas quer de outras como a Expressão Corporal e o Ballet.

DOMÍNIO CRIATIVO

A criatividade é, essencialmente, a capacidade de responder, de forma inovadora, a estímulos diferenciados que vão das áreas artísticas e culturais, às áreas cientificas e de comunicação. A criatividade resulta da promoção de uma expressão não condicionada e da possibilidade de, livremente, levantar hipóteses e apresentar soluções.

O DOMÍNIO DA EXPERIÊNCIA

O grande objetivo no domínio da experiência é aprender a aprender, isto é, refletir sobre o próprio processo da aprendizagem através da observação direta, da manipulação de objetos e instrumentos, de contato com pessoas, instituições e manifestações de carácter diversificado, que contemplam as várias áreas da atividade humana e conduzem à reflexão sobre os valores.

O DOMÍNIO DA AVALIAÇÃO

A capacidade de fazer uma auto e heteroavaliação decorre do desenvolvimento do sentido crítico. Assim, a capacidade de auto e heteroavaliação tanto se aplica ao percurso académico como a análise das atitudes e a consciência do crescimento individual.

O DOMÍNIO DA SENSIBILIDADE ARTÍSTICA

Pretende-se desenvolver a sensibilidade artística através do contacto com manifestações estéticas diversificadas que passam pelas artes plásticas, pela música, pelo mundo do audiovisual. Para além disso promove-se a expressão artística em vários domínios, numa prática pluridisciplinar.

A Dimensão Humana

Todo o nosso Projeto Educativo visa o desenvolvimento pessoal do aluno que será o sujeito dessa mesma transformação, assumindo-se o Colégio como um interlocutor colaborando ativamente com o aluno e com a família nesse processo cujos objetivos específicos são:

EQUILÍBRIO PESSOAL VISÃO POSITIVA DE SI MESMO

O equilíbrio pessoal que deriva, essencialmente, da visão positiva que o indivíduo forma acerca de si mesmo a partir da resposta que recebe do meio que o rodeia.

INICIATIVA ORGANIZAÇÃO

A capacidade de iniciativa e de organização do seu trabalho, individual e de grupo, visando níveis de consecução elevados.

LIBERDADE RESPONSÁVEL

A liberdade responsável que o leva a escolher as suas relações de amizade, a selecionar elementos necessários a sua atividade presente e futura e ao cumprimento dos direitos e deveres.

ABERTURA TOLERÂNCIA

A capacidade de conviver com os outros num clima de diálogo, abertura e tolerância, próprios de uma sociedade democrática.

SOLIDARIEDADE

O empenhamento em tarefas que visam o bem comum e a solidariedade para com os demais.

SENSIBILIDADE SOCIAL

A sensibilidade face as situações de desigualdade, de discriminação e de injustiça social.

SENTIDO ÉTICO

A integração na vida quotidiana de um sentido ético, abrangendo os valores individuais e os coletivos.

CAPACIDADE DE ADAPTAÇÃO A MUDANÇA

A capacidade de adaptação a uma sociedade em permanente mudança.

A Dimensão Extracurricular

É da tradição do nosso Colégio dar um acentuado relevo às atividades extracurriculares procurando o apoio das famílias, para que atinjam plenamente os seus objetivos específicos. A dimensão extracurricular permite que os alunos desenvolvam:

CAPACIDADES INDIVIDUAIS

Um aperfeiçoamento das suas capacidades no domínio físico, intelectual, técnico e artístico.

RELAÇÕES SOCIAIS

Um aprofundamento das relações sociais, do espírito de grupo, da sua convivência e solidariedade.

OCUPAÇÃO DOS TEMPOS LIVRES

A consolidação das suas preferências pessoais para a ocupação dos tempos livres.

EQUILÍBRIO PSÍQUICO

Um melhor equilíbrio psíquico.

III - Finalidades Educativas

Para os alunos

Para os alunos consideramos as seguintes dimensões: a dimensão académica e a dimensão humana que compreende, por sua vez, os aspetos do desenvolvimento pessoal e social.

1. Finalidades da dimensão académica

O DESENVOLVIMENTO COGNITIVO

1.1. Toda a aprendizagem deve conduzir à aquisição de conhecimentos significativos, isto é, a escola deve ensinar estratégias que sirvam para que o aluno organize a informação, a selecione e a integre com o fim de "aprender a aprender".

1.2. Todos os conhecimentos, quer de índole científica quer de índole humanística, têm de desenvolver as capacidades de compreensão, expressão, interpretação, aplicação e resolução de problemas, raciocínio lógico, iniciativa, criatividade, gosto pela investigação e sentido crítico.

1.3. O processo de ensino / aprendizagem deve prever sempre a capacidade de integrar qualquer novo conhecimento de modo a que os alunos respondam, de forma positiva, aos dados resultantes dos constantes avanços da ciência, das tecnologias e dos eventos históricos mais marcantes.

1.4. Os alunos devem dispor de um suporte instrumental forte: o domínio da língua materna oral e escrita, o cálculo e as técnicas de raciocínio, as linguagens informáticas e o domínio de línguas estrangeiras. Deste modo poderão facilmente obter e selecionar a informação, analisá-la de forma crítica e, por sua vez, transmiti-la aos outros.

O DESENVOLVIMENTO PSICO-MOTOR

1.5. Tomar consciência do funcionamento e aceitar o seu próprio corpo, potenciando as suas capacidades sensoriais, físicas e desportivas.

1.6. Reconhecer a importância da dimensão fisiológica para uma vida saudável e equilibrada.

1.7. Desenvolver, desde cedo, as habilidades elementares e as destrezas que permitam mais tarde uma progressão neste domínio.

1.8. Desenvolver as atividades artísticas e desportivas como fonte de expressão e de satisfação pessoal.

Finalidades da dimensão humana

As finalidades educativas incluem, para além da dimensão académica, uma dimensão mais ampla que visa o desenvolvimento do indivíduo e a sua contribuição para a vida em sociedade e para o progresso da humanidade.

No plano individual, a escola tem de promover meios que possibilitem, a cada aluno, a construção de uma personalidade própria, única, diferente. As finalidades relativas a esta dimensão envolvem múltiplos aspetos dos quais destacamos:

1.9. A liberdade de pensamento, de expressão e de iniciativa, que inclui a noção dos limites para além dos quais se atenta contra a liberdade de outrem.

1.10. A capacidades de tomar decisões, fundamentadas em critérios, assumindo sempre a responsabilidade que essas decisões implicam.

1.11. O respeito e a tolerância em relação dos outros com o reconhecimento do direito recíproco à liberdade.

1.12. Hábitos de trabalho individual e em grupo, não só como uma competência mas também do serviço da colaboração interpessoal.

1.13. A solidariedade como forma de participar no progresso, quer da sociedade em que se insere, quer no da própria humanidade.

1.14. As atitudes pacíficas que decorrem da convicção de que a violência é um meio errado para resolver qualquer tipo de conflito.

1.15. Normas de vida e de conduta baseadas em valores éticos e morais.

1.16. Experiências estéticas no domínio das Artes Plásticas, da Literatura, da Música, que desenvolvem a sensibilidade para apreciar e desfrutar a expressão da Beleza ao longo dos tempos.

No plano social distinguimos o papel da família e da escola.

1.17. Cabe à família a fase da primeira socialização; a ela cabe transmitir os primeiros valores e os critérios elementares quanto à justiça e injustiça, o bem e o mal. À família se atribui um lugar fundamental no despertar dos primeiros sentimentos em relação às figuras que povoam o primeiro universo relacional - a simpatia e a antipatia a confiança e o receio.

É no seio da família que se estabelecem marcos de conduta mais estáveis e coerentes que permitem o autodomínio e a maior quota de responsabilidade.

A missão da escola, neste capítulo, consiste em compatibilizar, de modo equilibrado, a diversidade individual e a vida em sociedade. Para isso deverá desenvolver um sistema de relações interpessoais baseado numa prática consciente das normas de convivência. São-lhe atribuídas, enquanto organização social secundária, algumas funções que correspondem à família e que, por isso, só podem ser satisfeitas com a colaboração imprescindível dos pais que são os principais responsáveis pela educação dos filhos. Se não existir uma concordância entre a família e a escola, dificilmente se evitarão desequilíbrios e contradições cujos principais prejudicados serão os alunos e, por isso, é indispensável um diálogo permanente com os pais.

1.18. Cabe à escola:

1 - O reconhecimento e respeito pelos direitos e deveres de todos os alunos.
2 - A divulgação e assimilação progressiva dos princípios democráticos que regem a vida quotidiana.
3 - A participação responsável nas atividades escolares e extracurriculares, de acordo com o estabelecido no regulamento interno.
4 - O respeito pela intimidade das pessoas.
5 - A convivência pacífica.
6 - O bom trato social.

Para os professores

Cabe à escola proporcionar aos seus professores:

UM BOM AMBIENTE DE TRABALHO

- Pelo reconhecimento da sua importância e prestígio enquanto educadores.
- Pela abertura à comunicação interpessoal.
- Pela facilidade na produção de materiais didáticos.
- Pela aquisição e conservação de equipamento didático que corresponda às exigências programáticas e aos avanços tecnológicos.

APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

- Pela dinamização dos grupos disciplinares e do trabalho dos departamentos.
- Pela formação permanente (cursos, seminários, ações de formação, etc.).
- Pela aquisição e divulgação de publicações nomeadamente no domínio das novas estratégias de ensino / aprendizagem, da gestão curricular e da didática das disciplinas.

Para os pais e encarregados de educação

Cabe à escola proporcionar aos pais:

Através dos Coordenadores de Ano e dos Diretores de Ciclo, uma informação detalhada sobre as características dos alunos conforme a turma, ano e ciclo no que se refere, quer às suas atitudes, interesses e motivações, quer à evolução da sua aprendizagem com a base no atual conceito de acompanhamento tutorial.

Informação sobre o Carácter Próprio e o Projeto Educativo do Colégio e sua organização.

Participação nas festas escolares e principais eventos culturais e desportivos em que os seus filhos e educandos tomem parte.

É através do acompanhamento individualizado de cada aluno que é possível atingir os objetivos de uma educação para a diferença.